Filosofia de Bar


O Filosofia de Bar é um podcast idealizado por Mayã Fernandes. Atualmente é apresentado por Mayã Fernandes, Anace Lima e Sabrina Xavier.  Atualmente é produzido pela equipe independente do Espaço de Cultura Oribê, projeto independente formado por mulheres, com espaço físico em Taguatinga - DF. O projeto nasceu com a proposta de discutir e difundir o pensamento filosófico por meio de debates atuais. 


A filosofia torna-se realmente perigosa quando está fora dos muros da academia. Seja na escola, nas praças e ruas ou no famoso botecão. O pensamento filosófico entrelaça-se com outros conhecimentos e favorece a reflexão. Saímos do bar e viramos podcast, assim você nos ouve no conforto do seu lar. 


Atualmente o podcast é lançado sempre às sextas-feiras, podendo somar 3 ou 4 episódios ao mês. A proposta é que por meio do programa você consiga relaxar e se informar sobre temas da filosofia, arte, história, cultura e política. Deste modo, contamos com uma bancada fixa de pessoas que dialogam sobre questões da atualidade. Além disso, pelo menos uma vez por mês convidamos uma nova pessoa para o bate papo. 


Os episódios ficam disponíveis pelas plataformas do Spotify, Megafono, GooglePodcast e Deezer. 


Contamos com financiamento coletivo pelo https://www.padrim.com.br/filosofiadebar



Artes, Politica e Filosofia

Assine:

Episódios

# 69 Os diários e a importância da autoria negra

Neste episódio do Filosofia de Bar,  Sabrina Xavier (@sabrinamelanina) conversa com Fernanda Sousa (@_fernandasousa8) 

Fernanda Sousa é bacharela e licenciada em Letras (USP), doutoranda em Teoria Literária e Literatura Comparada (USP), professora, tradutora, revisora de texto e crítica literária. Atualmente, desenvolve uma tese de doutorado a respeito dos diários de Lima Barreto e de Carolina Maria de Jesus a partir do diálogo entre literatura de autoria negra, história social da escravidão e do pós-abolição e música negra.
Mais infos: https://linktr.ee/fersousa08

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

# 68 Arte, improvisação e palhaçaria

Neste episódio do Filosofia de Bar, Sabrina Xavier (@sabrinamelanina) conversa com Ingrid Duarte (@ingri_d_uarte). 

Ingrid Duarte é dramaturga, atriz, diretora, poeta, contadora de histórias, teatro educadora, arte educadora e palhaça. Formada em Teatro pela Universidade Federal de Pelotas, trabalhou como ministrante de oficinas de teatro e dança nos projetos de extensão "Quilombo das Artes" e "Teatro na escola". Atuou em inúmeras peças como atriz, diretora e dramaturga e foi uma das criadoras da Cia. de Artes Aleatória, onde trabalhou com peças teatrais, Stand up Comedy, improviso, dança e animação de festas. Atualmente compõe a Companhia Teatral Filhas de Tereza, coletivo de resistência preta ao qual se dedica à pesquisa (e ação) sobre o Teatro Negro. 

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

# 67 Poéticas dissidentes

Neste episódio do Filosofia de Bar, Sabrina Xavier (@sabrinamelanina) conversa com Renata Pimentel (@pimentelrenata72). 
 Renata é graduada em Letras, com Mestrado e Doutorado em Teoria Literária pela UFPE. Desde 2010 é professora de literatura na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Coleciona algumas publicações como Copi: transgressão e escrita transformista (2011), Da arte de untar besouros (2012) e Denso e leve como o voo das árvores (2015), além de diversos artigos em vários periódicos e capítulos de livros. Tem formação também em dança clássica e teatro: atua nas áreas criativas da dramaturgia em dança contemporânea e artes da cena, escreve dramaturgia para teatro e roteiro para audiovisual, além de atuar e trabalhar com curadoria e pesquisa em artes visuais. Foi colunista do JC on line e da Revista e site Outr@s Crític@s. 

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

# 66 Autobiografias Trans

Neste episódio do Filosofia de Bar, Mayã Fernandes  (@maya.g.fernandes) e Sabrina Xavier (@sabrinamelanina) conversam com Caio Jade (@caio_jade). 

 Caio Jade é graduado em filosofia e pesquisador de autobiografias trans e filosofias decoloniais no mestrado do Programa de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da USP. Já publicou artigos como: "Saídas de emergência: autobiografias e espiritualidades trans" (2020) e "O que seriam as autobiografias trans?" (2021). Tem ministrado oficinas de escrita literária e minicursos sobre literaturas trans. Também trabalha com poesia, fanzine e performance. É professor de filosofia no cursinho popular Cora Coralina.


Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

# 65 Boas-vindas à Sabrina Xavier

Neste episódio do Filosofia de Bar, Mayã Fernandes  (@maya.g.fernandes) conversa Sabrina Xavier (@sabrinamelanina), podcaster do Filosofia de Bar durante o segundo semestre de 2021, colaborando com alguns programas. 

Radicada em Goiânia, Sabrina Xavier é estudante de linguística na UFSCar, atualmente é colaboradora no projeto de extensão 30 anos NEAB (Núcleo de Estudos Afro-brasileiros) na mesma instituição. É escritora e criadora de arte têxtil, reikiana e apaixonada por cursos livres. 

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

# 64 "O Congresso da melancolia"

Neste episódio do Filosofia de Bar, Mayã Fernandes  (@maya.g.fernandes) conversa com Léo Tavares (@tavaresleom) 

Léo Tavares é artista visual e escritor. Doutor em Arte pelo Programa de Pós-Graduação em Arte da Universidade de Brasília – PPGAV/UNB, na linha de Pesquisa Poéticas Transversais. Pesquisa a relação entre a palavra e a imagem. Participou de exposições no Brasil, em Portugal e na Espanha. Publicou os livros Os doentes em torno da caixa de Mesmer (Editora Modelo de Nuvem, 2014) e Ruibarbo do deserto (Editora Patuá, 2019) e Congresso da melancolia (Editora Patuá, 2021).
Você pode encontrar o Léo no site: https://www.leotavares.site/

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

# 63 Música de protesto

Neste episódio do Filosofia de Bar, Mayã Fernandes  (@maya.g.fernandes) conversa com Dê Ferreira (@deferreira_s)

Dê Ferreira é bacharela em Serviço Social pela Universidade de Brasília. Estuda Canto Popular (FIC) na Escola de Música de Brasília. Em 2019 atuou como produtora e cantora no projeto Samba em Cartola, onde realizou diversos shows em espaços como Casa Park, Sesc e Escola de Música de Brasília. Denise é finalista no Prêmio Profissionais da Música 2020, na categoria Produtora de Evento. Atualmente trabalha como professora de canto autônoma e no Instituto de música  Karashima.
Você encontra a Dê pelo link: https://linktree.com.br/new/s8UD8SeDLp

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

# 62 Minimal Art


Neste episódio do Filosofia de Bar, Mayã Fernandes  (@maya.g.fernandes) conversa com Guilherme Moreira (@guilhermemoreira.art)

Guilherme é Doutorando (2020-) e Mestre (2019) na linha de Teoria e História da Arte do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade de Brasília - PPGAV/UnB. Bacharel em Teoria, Crítica e História da Arte pela Universidade de Brasília (2016). Desenvolve pesquisa em Teoria, História e Historiografia da Arte Contemporânea, com ênfase nas neovanguardas e no trânsito teórico e artístico entre Brasil e Estados Unidos no contexto da década de 1960. Como artista, expõe regularmente em salões, mostras coletivas e individuais, em Brasília e outros estados brasileiros, desde 2015, contemplado, recentemente, com os prêmios dos editais Arte Como Respiro, do Itaú Cultural e SESC ConVIDA!, ambos em 2020. Tem artigos publicados em importantes revistas acadêmicas brasileiras na área de História da Arte, como MODOS e Arte & Ensaios.

Você encontra o Guilherme pelo link: https://linktr.ee/guilhermemoreiraart

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).

#61 Entre a natureza e as máquinas

Neste episódio do Filosofia de Bar, Mayã Fernandes (@maya.g.fernandes) conversa com Arthur Cabral (@artuurcabral).   Artur Cabral é artista computacional e pesquisador. Bacharel em Artes Visuais pela Universidade de Brasília (2018) e Mestre (2020) em Arte Contemporânea pelo PPG-Arte na UnB.  Vive no Distrito Federal e explora a relação entre máquinas e vidas naturais por meio de interfaces e poéticas computacionais. Atualmente é  doutorando no PPGAV/UNB na linha de pesquisa Arte e Tecnologia, onde também faz parte da equipe do Medialab/BR. Participou de exposições coletivas em várias cidades no Brasil e no exterior,  esse ano foi um dos indicados para Prêmio PIPA. Seus trabalhos poéticos têm como fio condutor a emergência computacional, que vão desde software, instalações artísticas e objetos interativos.  É um assíduo colaborador na produção de exposições, seminários e oficinas a fim de divulgar a temática de Arte e Tecnologia no Brasil.  Site do artista: https://artur-cabral.com/  Página para votar no prêmio PIPA: https://www.premiopipa.com/votar-no-pipa-online-3/

#60 Projeto Art in Poa

Neste episódio do Filosofia de Bar, Mayã Fernandes (@maya.g.fernandes) conversa com Kati Ribeiro (@kati__ribeiro) e Pietro Ferreira (@pietro_m_f)

Kati Ribeiro é graduada em Jornalismo pela PUCRS, com especialização em Produção e Revisão Textual pela UniRitter. É graduanda do curso de História da Arte (IA/UFRGS). Possui mais de dez anos de atuação na área de comunicação. Integrou a equipe do Programa Educativo da 12ª Bienal do Mercosul e do Núcleo de Comunicação e Design do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs). Atua como produtora cultural na Aliança Francesa Porto Alegre e como freelancer na área de comunicação de projetos culturais. É idealizadora e editora do Art in Poa.

Pietro Ferreira é fotógrafo, formado em Letras, com especialização em Produção e Revisão Textual, pela UniRitter, e graduando do curso de História da Arte, da UFRGS. Na área educacional, possui experiência em docência, como professor de Língua Inglesa, Literatura e Redação; tendo trabalhado, também, como mediador da 11ª Bienal do Mercosul. Atualmente, realiza especialização em Comunicação e Marketing Digital. Trabalha com fotografia de eventos, além de ser revisor de conteúdos educacionais. É idealizador e editor do Art in Poa.


Sobre o Art in Poa

Criado em 2019, o projeto de curadoria de conteúdo Art in Poa (@artinpoa) tem como propósito promover a difusão cultural das artes visuais. Diariamente, são divulgadas mostras realizadas em Porto Alegre e arredores, além de eventos e atividades de arte-educação. Com o fechamento por tempo indeterminado de museus e espaços culturais, o canal vem se dedicando a compartilhar conteúdos e a desenvolver iniciativas e ações locais, bem como convocatórias.

O projeto, idealizado pela jornalista Katiana Ribeiro (@kati__ribeiro) e pelo fotógrafo e professor Pietro Ferreira (@pietro_m_f), atua de forma autônoma e com uma metodologia colaborativa, mobilizando artistas, pesquisadoras/es e profissionais de outras áreas, a fim de contribuir para a democratização do acesso às artes visuais.

Gostou de nosso podcast? Apadrinhe-nos e ajude-nos a custear o projeto acessando o link https://www.padrim.com.br/flosofiadebar (a partir de R$ 1,00).
Próxima página

Megafono