O que te importa

Num mundo com tanta informação, o que te informa.
Com tantas verdades, no que você crê?
Com tantas pessoas, qual te abraça?
Num mundo tão superlativo, o que te importa?

Filosofia, Sociedade e Cultura e Saúde Mental

Assine:

Episódios

Violência doméstica


Se você entrar no Google e pesquisar "mulher é morta" vai receber um resultado de busca triste e real. Só na pesquisa que fizemos hoje, 01 de julho de 2020, três notícias traziam a informação de mulheres mortas a facadas pelos companheiros. 
Mulheres estão morrendo mais, só por serem mulheres. O número de casos de feminicídio aumentou 22% em março e abril deste ano, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os dados são em comparação com os números do ano passado.  Esse seria um dos reflexos da pandemia.  
Mas quando uma mulher chega a ser morta na grande maioria das vezes existe um caminho de violência percorrido. Você sabe identificar um relacionamento com potencial abusivo? E como ajudar àquela amiga, conhecida, vizinha, irmã que sempre aparece com um machucado, um roxo, mas que não se vê como vítima da violência doméstica?
A gente conversou com a delegada Eliete Aparecida Kovalhuk e com a psicóloga Emília Senapeschi. 
Vem com a gente descobrir que saída sim para a violência doméstica e ela depende de um engajamento de todos e todas. 

Pequenos prazeres

O coronavírus é um estraga prazeres. Acabou com a viagem marcada, o casamento planejado,  a comemoração aguardada. Acabou com os prazeres cotidianos. Saudade de abraçar os amigos, sentar em uma mesa de bar, reunir a galera, ver uma partida de futebol.
Como sobreviver em tempos tão incertos em que temos que ficar distantes o máximo possível?
Muita gente tem descoberto a paixão por temperos e ingredientes, outros descobriram que é melhor regar os cactos com maior volume de água e menos frequência do que um pouquinho a cada semana. 
E você? 
O que tem te ajudado a manter a cuca fresca?
Sentir prazer melhora a imunidade.
Vem com a gente nesse bate papo bem gostoso e divertido com a Gabriela Brandalise, jornalista, escritora e louca por cultura sul coreana e com a Vivi Mendonça, geógrafa, professora e louca por bike.

Me respeita!

Respeito é bom e todo mundo gosta.... de receber. Mas e respeitar?
Será que conseguimos respeitar o próximo? E se o próximo for a pessoa que você detesta, tá liberado desrespeitar?
Vem com a gente nessa reflexão tão importante neste momento.
No nosso bate papo conversamos com a psicóloga Luciana Chiapetti e com o filósofo Edimar Brigido.
Cola aí e aproveita pra fazer uma reflexão pessoal.

Estamos vulneráveis

Hoje vivemos uma situação de isolamento e distanciamento social. O que tem levado a espaços públicos vazios e lares cheios, com novas (e nem sempre harmoniosas) dinâmicas de convívio. Há, também, quem passa por esse período sozinho em casa. Criamos uma bolha da civilização, feita de certezas, de verdades, de controles, e agora tudo desaba. 
E agora? É difícil não se assustar com a sensação de vulnerabilidade tão escancarada.
Vem com a gente conversar sobre essa percepção e realidade.
No bate papo estão a Bianca Soprano, psicóloga e o Marcos Mahamuni, psicólogo e professor de Yoga.

Parir em tempos de covid-19

Bebês continuam nascendo, independente da pandemia que assola o mundo. Mas parir tem ganhado outro fator de ansiedade para muitas mulheres: o medo de contaminação por Covid-19. É seguro ir ao hospital para ganhar bebê? E optar por um parto domiciliar é uma boa alternativa?
Pra muitas mulheres essa parece a saída ideal. E pode até ser. Mas a escolha por um parto em casa precisa de reflexão e preparo. Nesse programa conversamos com a Cristina Trevisol, psicóloga perinatal e doula. Cola com a gente pra esse bate papo reflexivo e marca a galera que tá com bebê no forninho.

Revolução sexual

Namorar duas pessoas ao mesmo tempo ou ter uma relação aberta. Você toparia?
Vamos falar de sexualidade?
Ui, que delícia! Ou não? 
Cada vez há mais possibilidades sexuais, nem que seja a abstemia, e possibilidades de relacionamento. Estamos vivendo uma revolução sexual?
Neste episódio conversamos com a psicóloga e sexóloga Fernanda Bonato e com a Taci Colucho, estudante que vive uma relação de poliamor.

Você vai morrer...

E quem você ama, também.
Morrer é lei da vida, é a única certeza que a gente tem. Uma verdade gritante e a gente não quer ouvir.
Qualidade de morte, você já ouviu falar?
Com quem você precisa conversar sobre a morte?
É preciso se organizar para o dia derradeiro?
Vamos quebrar o tabu e falar sobre a morte e como ela pode ser algo festivo!
Neste bate papo a gente conversou com a Clarissa Grassi, Pesquisadora Cemiterial e a Diretora de Serviços Especiais da Prefeitura de Curitiba, com a Dra. Úrsula Bueno do Prado Guirro, Médica Anestesiologista, Especialista em Cuidados Paliativos e Professora da UFPR e com o Dr. Gerson Zafalon Martins, Ex-presidente do Conselho Regional de Medicina do Paraná e Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Bioética.

Gordx!

Voltamos!
E aproveitando o calor (em Curitiba, não), o carnaval e os corpos desnudos vamos falar de gordofobia.
Você já sofreu gordofobia? Teve alguma atitude gordofóbica?
Cola aí e vem participar deste papo pra ficar por dentro do que não é legal fazer e falar.
Informação é tudo nesta vida.
Neste bate papo a gente conversou com a Bruna (@umpalpite), que usa a internet para que cada vez mais pessoas se sintam confortáveis no próprio corpo.  E teve também a participação sensacional da Mum (@maisunamujer) , artista e também tá gritando pelas redes que o importante é ser feliz.

2019 acabou... e o que você fez?

Então é Natal, e o que você fez?
O ano termina e nasce outra vez(leia cantando).

É letra de música e é reflexão.
Dizer que o ano passou voando é conversa de elevador, né?
Todo mundo concorda.

 Mas tá aí, foram 12 meses. E o que você fez com esse tempo?
O quão próximo você chegou dos seus propósitos?
Aliás, você tem propósitos?
Vem com a gente nessa conversa sobre a vida, essa bandida, e o porquê estamos aqui e agora.
Nesse bate papo a gente contou com a presença da Caroline Olinda - Jornalista, mulher maravilha, mãe de três, empresária, esposa, dona da porra toda e muito questionadora, e da Karla Losse Mendes, também jornalista e psicóloga e mãe e guerreira, que tá aí, ajudando a galera a achar um propósito (ou vários) para a vida. 

Tempo. Quanto vale o seu?

Já é natal... de novo. 
De dezembro do ano passado pra cá, quantas coisas você deixou de fazer por falta de tempo?
Será que é tempo que falta mesmo? Existe tempo perdido?
Nessa conversa a gente discutiu a falta de tempo, procrastinação e consumo. Sim, o tempo que te falta pode estar no dinheiro que você gasta. 
A gente conversou com a Bernadete Brandão, trabalha com slow design e é atuante no Centro de Estudos Budistas.
E também com o Marlus Forigo,   filósofo, cientista político e professor universitário.
E tem a enquete super divertida do @PriPergunta.
Próxima página

Megafono