Universo Literário

Assine:

Ver todos episódios

Carlos Drummond de Andrade, o maior dos poetas do Brasil

Carlos Drummond de Andrade
============================
  • Aproveitando que estou visitando a capital de Minas Gerais, Belo Horizonte, gostaria de homenagear nesta semana um grande escritor mineiro nascido neste mês de outubro, considerado o mais influente poeta brasileiro do século XX, o grande poeta Drummond.
  • Carlos Drummond de Andrade nasceu dia 31 de outubro de 1902, há 117 anos em Itabira, no interior de Minas Gerais. 
  • Sua memória dessa cidade viria a permear parte de sua obra, influenciando-a constantemente.
  • Filho de proprietários rurais, durante sua adolescência foi encaminhado para estudar em colégios internos em Belo Horizonte e também em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro.
  • Desde pequeno Drummond demonstrou grande interesse pelas palavras e pela literatura. 
  • Após concluir os estudos, regressou à Belo Horizonte e iniciou sua carreira de escritor publicando artigos no Diário de Minas em 1921.
  • Já no ano seguinte foi vencedor do “Concurso Novela Mineira” com o conto “Joaquim do Telhado”.
  • Formou-se em Farmácia em 1925, mas não exerceu a profissão. 
  • No mesmo ano de 1925 casou-se com Dolores Dutra de Morais e fundou com outros escritores “A Revista”, veículo com publicações que consolidaram o Modernismo mineiro.
  • Foi também redator-chefe do Diário de Minas.
  • Escreveu poesia, prosa e literatura infantil, em uma obra marcada por referências à vida mineira. 
  • Itabira está presente em grande parte de sua obra. A cidade hoje abriga um memorial em homenagem ao autor.
  • Em 1928, fez a publicação que impactou sua carreira: a poesia “No Meio do Caminho”, na Revista de Antropofagia de São Paulo.
  • A obra foi criticada pela imprensa, por conta da construção repetitiva e inusitada de suas estrofes. 
  • O trecho "No meio do caminho tinha uma pedra / tinha uma pedra no meio do caminho" ganhou repercussão e a poesia foi apontada até como forma de provocação na época.
  • Drummond consagrou-se como um dos maiores escritores da literatura brasileira, fazendo parte da segunda geração modernista. Muitos de seus poemas são conhecidos mundialmente. 
  • Ainda em 1928, Drummond ingressa no serviço público como auxiliar de gabinete da Secretaria do Interior. Em 1930 publica o volume "Alguma Poesia", contendo 49 poemas. Em 1934 transferiu-se para o Rio de Janeiro e foi chefe de gabinete de Gustavo Capanema, ministro da Educação, até 1945.
  • Em 1942 publicou seu primeiro livro de prosa, "Confissões de Minas". Entre os anos de 1945 e 1962 foi funcionário do Serviço Histórico e Artístico Nacional.
  • Em 1946 foi premiado pela Sociedade Felipe de Oliveira, pelo conjunto de sua obra. Durante os anos 60 e 70 escreveu para jornais do Rio de Janeiro e dedicou-se à produção de crônicas e poesias.
  • Algumas de suas obras são “Sentimento do mundo”, “A rosa do povo”, “Claro enigma” e “As impurezas do branco”.
  • Carlos Drummond de Andrade morreu aos 85 anos, no Rio de Janeiro.
  • O estilo poético de Carlos Drummond de Andrade ficou caracterizado por observações do cotidiano misturadas a traços de ironia, pessimismo e humor. 
  • Várias de suas obras foram traduzidas para diversos idiomas, sendo também tradutor de autores como Balzac, Federico Garcia Lorca e Molière.
  • Sua poesia, ao retratar as aspirações e angústias cotidianas, parece falar ao coração de cada leitor. Não é à toa que inúmeros versos do poeta se tornaram praticamente ditados populares, como o famoso “E agora, José?”.

Megafono