Universo Literário

Assine:

Ver todos episódios

Miguel de Cervantes, autor do primeiro romance moderno

Miguel de Cervantes, autor do primeiro romance moderno
=====================
  • Nesta semana, nós lembramos do aniversário de nascimento de Caravaggio (19), Truman Capote, Xororó e Chacrinha(30), Mahatma Gandhi, Groucho Marx, Augusto Cury e Sting (2), Allan Kardec, Orlando Silva e Zé Ramalho (3), Buster Keaton, Assis Chateaubriand e Susan Sarandon (4), Diderot, Václav Havel e Tarcísio Meira (5).
  • Mas o tema de nossa semana é aquele que é considerado do homem que inventou a ficção através de um dos livros mais importantes e mais influentes já escritos. O tema de nossa semana é o escritor espanhol, Cervantes
  • Miguel de Cervantes Saavedra, nasceu na Espanha, no dia 29 de setembro de 1547, provavelmente em Alcalá de Henares, filho de Rodrigo e Leonor de Cortinas, que além de Miguel, tiveram mais seis filhos. Em 1563 a família mudou-se para Sevilha, onde Miguel iniciou seus estudos em gramática e latim, aprendendo com os padres jesuítas.
  • Em 1566, aos 19 anos, mudou-se com a família para Madri, onde viveu apenas três anos. Segundo alguns estudiosos, ele teve que deixar a cidade porque havia ferido um homem por acidente.
  • Passou a viver em Roma, na Itália, onde fez carreira como soldado e lutou na Batalha de Lepanto, contra os turcos, em 1571. Nesse combate, foi ferido e perdeu os movimentos da mão esquerda. Segundo alguns pesquisadores, na verdade ele perdeu o braço inteiro.
  • Na volta à Espanha, em 1575, a embarcação em que Cervantes viajava foi tomada por piratas turcos. Os bandidos o mantiveram prisioneiro durante cinco anos; só foi libertado quando sua família pagou um resgate.
  • De volta à Espanha, trabalhou como coletor de impostos do reino. Casou-se em 1583 com Catalina de Palacios Salazar, com quem viveu apenas um ano. Antes do casamento, teve uma filha.
  • Edita na cidade de Madri, em 1585, “La Galatea”, que foi sua primeira novela. Teve contato com grandes literatos da época, e escreveu os poemas dramáticos “Los Tratos de Argel” e “La Mumancia”.
  • A obra mais famosa de Cervantes é Dom Quixote — o nome completo é O engenhoso fidalgo Dom Quixote de La Mancha —, publicado em duas partes: a primeira em 1605 e a segunda em 1616.
  • O livro conta a divertida história de Dom Quixote, cavaleiro ingênuo e bem-intencionado, que sai pelo mundo para combater as injustiças. Dom Quixote apronta muitas confusões e acaba sempre se dando mal.
  • O livro é uma paródia das histórias de cavalaria, que narram os feitos heroicos dos cavaleiros. Eles enfrentam monstros, combatem exércitos inimigos e defendem os mais fracos.
  • O livro fez tanto sucesso, que uma pessoa, fazendo uso de um nome falso, publicou uma segunda parte do romance. Por conta da revolta com tal falsificação, em 1615, Cervantes publicou sua própria segunda parte, escrevendo também diversas obras ao longo deste período. “Dom Quixote” foi traduzido em mais de 60 idiomas, e de geração em geração vem conquistando de crianças a adultos.
  • Miguel de Cervantes, considerado um dos quatro gênios da literatura ocidental, morreu no dia 23 de abril de 1616, na cidade de Madri, Espanha. 
  • Deixando grande inspiração em diversos níveis, ultrapassando séculos. De forma que romancistas, contistas; poetas; escritores; pintores; escultores; ensaístas; cartunistas; quadrinistas; dentre outros, ainda hoje encontram em suas obras um referencial artístico.
  • O seu trabalho é considerado entre os mais importantes em toda a literatura, e sua influência sobre a língua castelhana tem sido tão grande que o castelhano é frequentemente chamado de La lengua de Cervantes (A língua de Cervantes).
  • A dica é, portanto, conhecer Cervantes (e a língua de Cervantes) seja por suas obras literárias, ou pelas muitas obras que ele inspirou.

Megafono