Universo Literário

Um minipodcast sobre literatura e cultura em pílulas de 5 minutos sobre a cultura, suas curiosidades e seu impacto em nosso cotidiano.
Baseado na minha coluna semanal da CBN Amazônia 98.5 MHz que vai ao ar todas às segundas e terças-feiras.

Sociedade e Cultura, Literatura e TV e Filmes

Assine:

Ver todos episódios

Nietzsche e o eterno retorno

Nietzsche e o eterno retorno
============================
  • Dia 27 de outubro lembramos o nascimento do escritor Graciliano Ramos e  o quadrinista Maurício de Souza (dia 27); de Bill Gates, Eros Ramazzotti, Zélia Duncan e Julia Roberts no dia 28; Diego Maradona dia 30; Carlos Drummond de Andrade no dia 31; 
  • Mas o personagem que nossa coluna homenageará nesta semana é um filósofo que fez uma crítica profunda à filosofia e à civilização ocidental, além de ser um dos mais influentes pensadores tanto do século XX quanto do mundo moderno, o filósofo da suspeita, cujo pensamento extrapolou o debate acadêmico e, além de tudo, escrevia em um estilo brilhante, inteligível, que filosofava por meio de aforismos e poemas, o alemão Nietzsche.
  • Friedrich Wilhelm Nietzsche nasceu dia 15 de outubro de 1844, há 175 anos, portanto, na cidade de Röcken, no Reino da Prússia e faleceu dia 25 de agosto de 1900, 56 anos depois de seu nascimento, em Weimar no império Alemão.
  • Ele foi um filósofo, filólogo, crítico cultural, poeta e compositor cuja obra filosófica permanece extremamente atual, na medida em que prenuncia boa parte do que foi desenvolvido ao longo século XX (e mesmo nos primeiros anos do século XXI).
  • Temas como crítica à verdade e à pretensão de atingir uma interpretação unitária do real, além de temas como a fragmentação do sujeito, a impossibilidade de estabelecer valores universais, a crise da metafísica e o estudo da moral e da ética serão retomamos e desenvolvidos por autores durante todo o século passado (entre eles Derrida, Lyotard, Foucault e Deleuze entre outros).
  • Nietsche era filho de um pastor protestante e de uma mãe piedosa e puritana. Estava sendo, pois, preparado para ser pastor, dada que sua família vinha de uma tradição de clérigos luteranos. Mas, aos 18 anos afastou-se do cristianismo e perdeu a fé do Deus de seus pais. Forma-se em Filologia (a contragosto da mãe) e Depois de concluir sua formação, devido aos seu grande conhecimento e respeito de seus superiores, é convidado a lecionar filologia na Universidade de Basileia, com apenas 24 anos.
  • Nesta época conhece a filosofia de Schopenhauer lendo “O mundo como vontade e ideia”, encontrando nele a influência para o desabrochar da sua própria filosofia. Em 1871 lança sua primeira obra, O Nascimento da Tragédia, sob influência da música de Wagner e da filosofia de Schopenhauer, com os quais depois virá a romper. Em 1878, o filósofo publicou Humano, demasiado humano, a sua primeira obra escrita em aforismos, estilo que marcou a escrita nietzschiana.
  • Entre 1883 e 1885 o filósofo escreve Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém que influenciou significativamente o mundo moderno. O livro narra as andanças e ensinamentos de um filósofo, que se autonomeou Zaratustra. O livro usa uma forma poética e fictícia, frequentemente satirizando o estilo do Velho e Novo Testamento.
  • O filósofo, em 1886, escreve e publica o seu primeiro grande estudo acerca da moralidade, o livro Além do bem e do mal. No ano seguinte, aprofundando no tema sobre a moralidade, o filósofo escreve Genealogia da moral. Ainda em 1887, ele começa a redação de O anticristo, texto publicado em 1888, mesmo ano de publicação de Crepúsculo dos ídolos e Ecce homo. Nessas últimas publicações, Nietzsche já se encontrava afetado pela doença mental, tendo surtos, fortes dores e problemas diversos.
  • Obviamente que um filósofo tão influente na modernidade quanto Nietzsche não poderia ser completamente explorado neste espaço. O que buscamos nesta semana é uma apresentação do filósofo para o ouvinte, para que ele possa descobrir o pensamento de figura tão central no pensamento atual. Eu recomendo os livros Compreender Nietzsche de Jean Lefranc e o livro da série “Folha Explica”Nietzsche da Publifolha escrito por Oswaldo Giacoia.
  • O legado de Nietzsche é vasto, mas eu gostaria de destacar principalmente seu estilo inconfundível de sentenças diretas e frases cuidadosamente pensadas e encaixadas. Estilo exagerado, hiperbólico, rápido e brilhante que muitos tentaram, sem sucesso, copiar. Conheça a vida e a obra de Nietzsche. Por ser um filósofo extremamente popular não faltarão obras para iniciar o leitor no “caro deleite” da filosofia.

Megafono